Mesmo sem poder viajar devido a pandemia da Covid-19, você ainda pode fazer uma visita ao Chile degustando um bom vinho chileno. Para quem está começando no mundo dos vinhos, pode ser um pouco difícil decifrar os rótulos, são muitas informações para te contar a história daquele vinho que pode ser tinto, branco, de variadas uvas, com diferentes aromas e de diferentes regiões.

 

Muitos mercados e adegas brasileiras organizam suas prateleiras dividindo os vinhos por região (normalmente por país), então você pode encontrar facilmente vinhos chilenos no Brasil, talvez os preços não sejam tão atrativos, mas vale a pena fazer essa pequena viagem enquanto a pandemia não acaba.

 

Mas na hora de comprar, afinal, qual é o melhor: Reserva, Gran Reserva ou Reservado?

 

Diferente de países como Itália e Espanha, no Chile, assim como na Argentina e Brasil, não há legislação específica para classificação do vinho como Reserva, Gran reserva ou Reservado, isso significa que em uma vinícola um vinho reserva pode não ter a mesma qualidade que em outra, mas se compararmos os rótulos dentro de uma mesma marca, será possível concluir que o produtor vai indicar uma escala de qualidade de seus vinhos a partir de sua classificação. Vejamos o que cada um significa:

 

Reservado
Costumam ser os mais baratos, já que não passam por nenhum tipo de tratamento especial, e são produzidos em grande escala, prontos para o consumo.

 

Reserva
Esses costumam ter um contato – rápido – com madeira, podendo ser em barricas, por um tempo médio de 2 a 8 meses.

 

Gran Reserva
São os vinhos que recebem tratamento especial, oriundo das melhores uvas de seu produtor, além disso, passará por barricas por um período longo, que dura em torno de 10 a 18 meses.

 

Se interessou pelo assunto? No nosso blog tem muito mais sobre vinhos chilenos!

 

Texto por: Najla Amine


Deixe seu comentário


Open chat